A NECESSIDADE DE UMA EDUCAÇÃO HUMANIZADA


A NECESSIDADE DE UMA EDUCAÇÃO HUMANIZADA

Leonardo Maia


Uma das grandes bençãos que a criança pode receber é a de conseguir perceber o amor, respeito e cuidado entre seus pais, independente de estarem juntos ou não. Isso se torna um dos grandes alicerces para o desenvolvimento de sua moralidade individual.


Consciência, liberdade, dignidade, noção de respeito e amor ao próximo: como posso criar um ambiente propício para que essas qualidades floresçam no coração humano?

A razão, se esta tem desconexão com o sentir, se torna árida e fria, aquela que justifica a falta de humanidade, é a razão puramente intelectual, desconectada do coração, que justifica as atrocidades e a indiferença com o outro ser humano, sendo que, necessariamente, o caminho de desenvolvimento e realização da alma humana é o serviço em prol do bem maior.

Muitos sequer percebem sua falta de humanidade, justificam intelectualmente as necessidades que levam às suas tomadas de decisão, mesmo que elas causem sofrimento ao próximo, pois é indiferente, eles não sentem mais compaixão ou pouco sentem, como se estivessem anestesiados.

A carta abaixo (independente de sua autenticidade/veracidade) diz muito sobre a necessidade de uma educação humanizadora, onde o alicerçamento de uma boa índole se torna essencial para o futuro da humanidade – a conexão do pensar com o coração com a Vontade conectada ao impulso de dignificação do ser humano:

Após o término da segunda guerra mundial, esta carta foi encontrada num campo de concentração nazista, contendo a seguinte mensagem dirigida aos professores:

“Prezado Professor, sou sobrevivente de um campo de  concentração. Meus olhos viram o que nenhum homem deveria ver.
Câmaras de gás construídas por engenheiros formados.
Crianças envenenadas por médicos diplomados.
Recém-nascidos mortos por enfermeiras treinadas.
Mulheres e bebês fuzilados e queimados por graduados de colégios e universidades.
Assim, tenho minhas suspeitas sobre a Educação.
Meu pedido é: ajude seus alunos a tornarem-se humanos. Seus esforços nunca deverão produzir monstros treinados ou psicopatas hábeis. Ler, escrever e saber aritmética, só serão importantes se fizerem nossas crianças mais humanas.”

Autor Anônimo

Por Leonardo Maia


 RECEBA NOSSA NEWSLETTER:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *