A Segunda Vinda de Cristo


A SEGUNDA VINDA DE CRISTO
O GRANDE EVENTO ESPIRITUAL DO SÉCULO

Yeshayahu Ben-Aharon

Tradução livre: Leonardo Maia


O desenvolvimento natural de novas faculdades de percepções suprassensíveis conscientes, que antes só poderiam ser adquiridas por meio da Iniciação, será condição universal da humanidade: Essa condição da alma, essa experiência da alma, é chamada no esoterismo a” Segunda Vinda de Cristo “.


Rudolf Steiner apontou repetidamente que o maior evento espiritual deste século é a aparição etérica de Cristo, cuja experiência e percepção serão o resultado do desenvolvimento natural de novas faculdades de percepção suprassensíveis conscientes.

A moderna ‘Experiência de Damasco’ será, pela primeira vez na evolução da consciência humana, uma iniciação natural. Os seres humanos que se submeterem a essa iniciação “não precisarão de provas documentais para reconhecer a Cristo, mas terão conhecimento direto, como hoje é possuído apenas pelos iniciados”. Esse desenvolvimento é resultado da lei interna que conduz a evolução espiritual da consciência humana. Esta lei declara que “todas as faculdades que hoje só podem ser adquiridas por meio da iniciação serão no futuro faculdades universais da humanidade. Essa condição da alma, essa experiência da alma, é chamada no esoterismo a” Segunda Vinda de Cristo “.

Desde o Mistério do Gólgota, o Cristo viveu dentro da esfera terrestre e é incessantemente ativo nela. Mas durante a maior parte desse período, a humanidade ainda estava na época da alma da mente (ou do intelecto), ou em seus efeitos posteriores. Sua abordagem ao Cristo foi condicionada por esse fato e baseou-se principalmente nas religiões e nos caminhos místicos da Idade Média. O pensamento, assim como a experiência e a pesquisa supersensíveis autoconscientes, tiveram que se retirar humildemente diante de tal conhecimento direto, e na era da alma da mente isso foi feito por razões inteiramente necessárias e justificadas.

Contudo, na era da Alma da Consciência, e especialmente desde o início da nova era de Micael e a nova era da luz, o ser e a atividade de Cristo podem, pela primeira vez, tornar-se o objetivo da experiência e pesquisa humanas totalmente individualizadas.

Quanto mais a Época da Alma da Consciência se desenvolve e mais ela emerge acima dos resíduos intelectuais de seu passado imediato, mais essa alma será reconhecida em sua verdadeira natureza. E sua verdadeira natureza já é, realmente, altamente espiritual. Mas espiritual significa soberano, criativo e ativo, interiormente inflamado com o fogo do amor e entusiasmo pelos mistérios do mundo e do homem, e completamente irradiado e penetrado pelas forças do pensamento e da imaginação claros, precisos e vivos. Ele experimenta qualquer passividade, doação e obscuridade apenas como a resistência sobre a qual ela pode se desdobrar e fortalecer suas forças cognitivas e morais independentes.

Essas características da Alma da Consciência, se forem realmente desenvolvidas, são aquelas que lhe permitem entender e lidar com as novas faculdades da percepção supersensível, que trazem a experiência moderna de Cristo como um evento natural de iniciação, porque encontra neste evento um fonte infinita de possibilidades para o futuro fortalecimento e espiritualização de suas forças espirituais inatas.

Yeshayahu Ben-Aharon

Tradução livre: Leonardo Maia


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

Uma opinião sobre “A Segunda Vinda de Cristo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *