CONCEITUAÇÃO ESTÁTICA DO INTELECTO PASSIVO


CONCEITUAÇÃO ESTÁTICA DO INTELECTO PASSIVO

por Carl Gustav Jung

Fonte: Sobre sonhos e transformações


Segue um pequeno relato de Carl Jung que podemos relacionar com o tema da conceituação estática intelectual. Na Antroposofia este é um aspecto de Ahriman (cristalização), que, reflete a degradação do intelecto, a morte do pensamento consciente, que apenas reproduz o que absorve, sem permear com o Espírito, o pensar próprio. Interessante notar também suas citações sobre o impacto no sentimento – aspecto que também caracterizado na Antroposofia e facilmente perceptível: extrema dificuldade de conexão e empatia – o coração de pedra, o caminho da indiferença e desumanização.


Não me esqueço jamais,um dia estive num jantar de diplomatas e a senhora que me atormentava era a irmã de um homem muito famoso. Aparentemente ela era a tal, uma mente brilhante, tinha um ciclo muito intelectual. A partir do momento em que nos sentamos, durante uma hora e meia, inundou-me com filosofia e sabe lá Deus o que mais. Não tive a chance de encaixar uma única palavra.

Em seguida, parou de repente, sentindo que agora eu devia estar em desvantagem e disse:

“Mas sou sempre eu que falo, quais os seus pontos de vista?”

Em relação a essa ou aquela coisa – assuntos filosóficos altamente abstrusos (difíceis de compreender). Eu disse:

“Sabe, estaria muito interessado em saber o que a senhora pensa sobre essas coisas”.

“Mas eu o inundei com minhas ideias”.

Respondi:

“Não senhora. Não foi o que a senhora fez,a senhora me contou coisas que posso ler na Encyclopedias Britannica. Não estou interessado em nada disso, gostaria de saber o que a senhora pensa”.

“O que penso? Bem, preciso pensar primeiro”…

…Um quase intelecto desse espécie, é mais impeditivo quando se trata do desenvolvimento do sentimento, pois mata o sentimento por completo, não apenas o sentimento do seu público, mas também o seu próprio sentimento.

O seu próprio sentimento permanece muito primitivo e frágil, capenga, ridículo, infantil, egoísta; o seu sentimento é simplesmente impossível. E também é incapaz de estabelecer um rapport (conceito do ramo da psicologia que significa uma técnica usada para criar uma ligação de sintonia e empatia com outra pessoa) baseado no sentimento, pois o seu sentimento é destruído desde o início.”

Carl Gustav Jung – Sobre sonhos e transformações


 RECEBA NOSSA NEWSLETTER:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *