As intenções e valores que nos guiam


AS INTENÇÕES E VALORES QUE NOS GUIAM 

Leonardo Maia


Quais são as intenções e valores que guiam suas escolhas e direção ideológica?


Incrivelmente temos pessoas defendendo ou menosprezando a declaração do ex-secretário de cultura Roberto Alvim em sua declaração “oficial”, diga-se de passagem, onde citou quase ipsis literis uma frase famosa de Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda da Alemanha Nazista.

Vale considerar que sua demissão foi efetuada por pressão da comunidade e não por diferenças ideológicas entre Alvim e Bolsonaro, que somente indica pessoas com essa condição: mesma direção ideológica. Inclusive no dia anterior citou ao lado de Alvim:

“Depois de décadas, agora temos, sim, um secretário de Cultura de verdade. Que atende o interesse da maioria da população brasileira. População conservadora e cristã”.

Link: 

E mais, sua insistência em defender os interesses nacionalistas e impor a “vontade da maioria” sobre as minorias, com justificativas sobre a morte de inocentes e etc pelos interesses da nação reflete uma percepção similar a do nazismo, inclusive comentada pelo mesmo, justificando que o plano do nazismo era dominar o mundo e impor a sua raça, que os vencedores em batalhas impõem suas vontades, que se alistaria no exército de Hitler e que o considera um grande estrategista, por estar pronto a ir lá e aniquilar, destruir o outro país pra defender o seu, inclusive desconsiderando o “genocídio”.

Link:

Temos ainda o histórico de declarações como ser favorável à tortura, morte em larga escala (no caso ele cita 30.000) com desdém à morte de inocentes, ser admirador do torturador Carlos Alberto Ustra e de ser apoiador de grupos de extermínio. Obviamente esses fatores seriam vinculados a suas ideias para o que desejaria para o país.

Link:

Uma pergunta fica: o secretário Alvim foi exonerado, mas as intenções e os valores do governo que o conduziu à secretaria de Cultura mudaram?

Segundo um email do secretário interino de cultura José Paulo Martins enviado aos diretores de entidades como a Agência Nacional do Cinema, a Ancine, e a Fundação Nacional das Artes, a Funarte pede aos interlocutores que organizem “objetivos e ações para 2020″ levando em consideração alguns pontos prioritários: o nacionalismo, a exaltação à família, a “profunda ligação com Deus” e a “luta contra o que degenera”. Este último tópico é uma associação direta ao nazismo, que tinha o conceito de “arte degenerada” – aquela considerada imoral e perigosa por não seguir os parâmetros do regime.

Link: https://theintercept.com/2020/01/17/cultura-ideias-do-nazismo-roberto-alvim/

Desculpe, independente da posição política individual, eu, Leonardo Maia, administrador da página Biblioteca Virtual da Antroposofia me posiciono contra tais valores, tanto da perspectiva pessoal como da direção da página – a Antroposofia com seus impulsos Crísticos e em direção ao Amor e Liberdade.

Sobre a acusação de Lula, esquerda e comunismo, é indiferente pra mim, pois eu sou favorável ao ser humano, ao amor e impulsos de liberdade e altruísmo. Esse vazio de argumentação é reflexo da atuação de Ahriman nas consciências individuais sob a perspectiva da degradação da linguagem, que segundo Steiner: não criaríamos nossos pensamentos originais, os pseudo-pensamentos pré-fabricados, as palavras banais e as frases vêm automaticamente à mente e nos acompanham com elas, resultando em “pensar quase inteiramente sem pensamentos”.

Lula, esquerda e comunismo são os pseudo-pensamentos pré-fabricados, as palavras banais e as frases vêm automaticamente à mente para atacar a página e o interlocutor – no caso, a minha pessoa.

Estranhamente eu utilizo fundamentação Antropoósofica para argumentar nas publicações e questionamentos mas não existe fundamentação nas réplicas, para gerar o ambiente de elevação do pensar para o bem comum, apenas uma reação inflamada sem argumentos e fundamentos: as palavras banais e as frases que vêm automaticamente para defender suas posições pessoais sem vínculo com a perspectiva Antroposófica ou uma tentativa de colocar um véu sob tais questionamentos, como não devemos entrar nessas questões.

É perceptivo que as Forças do Coração humano estão em déficit hoje gerando grande indiferença com o próximo.

Eu reitero que sou a favor da Vida, da Liberdade, da Natureza e do Amor, independente de aspectos partidários. Se Lula, Bolsonaro ou seja lá quem for, consideram uma pessoa como Hitler um grande estadista, eu não considero, pois um grande estadista levaria dignidade à sua nação e povo, sem desrespeitar o próximo, ou outra nação, criando pontes ao invés de muros, falando de amor, respeito e liberdade ao invés de violência, morte e imposição.

Sei que esta é a direção indicado pela Antroposofia e os valores incutidos nos Impulsos Crísticos, gostem os apoiadores do governo ou não.

Eu não aceito e vou lutar contra o que o vídeo abaixo recorda com todas as minhas forças, em prol de todos, independente de posicionamento político, religião ou raça.

(desculpe o conteúdo forte do vídeo, porém é necessário)

Peço que compartilhem por gentileza a publicação.

Atenciosamente,

Leonardo Maia

“Que o meu pensar seja claro, verdadeiro, sem julgamento, ponderado. Que meu sentir seja aquecido, amoroso, com compaixão pelo outro, trazendo a verdade do amor latente em si. Que minha ação seja fiel a uma causa, apaziguadora. Que eu possua a virtude de fazer o bem. Que eu possa ajudar ao outro ser humano e acompanhá-lo. Que eu desenvolva o sentido humanitário e colocar a minha força à disposição da humanidade. Que eu Ilumine com sabedoria os lados negativos ou sombras. Que eu possa ajudar o outro a encontrar suas metas e realizá-las. Que eu acompanhe o destino do outro, ajude-o a encontrar os lados positivos da vida para aproveitar, para um todo maior, as qualidades positivas de cada um.”


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A BIBLIOTECA PARA 2020:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *