O poder terapêutico das Histórias


O PODER TERAPÊUTICO DAS HISTÓRIAS

Susan Perrow


Uma história narrada requer e estimula a criação imaginativa de vivências internas e não apenas imagens fixas, pré‐criadas que tem que ser aceitas pelo expectador sem evocar sua própria capacidade de criação.


Todas as histórias são potencialmente terapêuticas ou curativas. Se uma história nos faz rir ou chorar, ou ambos! – o riso e a lagrima podem ser curadoras. As histórias folclóricas ou contos de fadas, através de seus temas e resoluções universais, apresentam possibilidades curativas. Eles podem oferecer esperança e coragem para lidar com adversidades da vida, afirmando nossa capacidade de desenvolver e de mudar.

A simples experiência de ouvir uma história, não importando seu conteúdo, pode ser “curativa”. Sessões regulares de narração de histórias podem desenvolver a concentração das crianças, e podem ativar sua imaginação. Estes efeitos são um bálsamo curativo às crianças no mundo de hoje, quando frequentemente despendem muitas horas na frente da TV e DVDs. Uma história requer e estimula a criação imaginativa de vivências internas, enquanto os meios acima citados apresentam imagens fixas, pré‐criadas que tem que ser aceitas pelo expectador sem evocar sua própria capacidade de criação.

Concomitantemente a este potencial curativo genérico das histórias, determinadas histórias podem ajudar ou curar situações especificas de comportamento. “São as chamadas histórias ‘terapêuticas”.

Se a definição de curar é a de restaurar, retornar ao equilíbrio, tornar‐se harmonioso e inteiro, então histórias terapêuticas podem ser descritas como histórias que devolvem a harmonia de uma situação que se encontra em desequilíbrio.

História terapêutica é um modo delicado, fácil e efetivo de atingir comportamentos indesejáveis das crianças. A forma da história permite que a criança “embarque” numa viagem imaginativa, ao invés de ser admoestada diretamente por ter se comportado de modo inadequado. Através da identificação ao personagem principal ou de outras características, a criança se fortalece e pode superar obstáculos e alcançar resoluções.

Histórias são como medicação natural, homeopática, e sendo assim, elas ativam forças latentes e capacidades de restabelecer o equilíbrio. Às vezes, do mesmo modo como há uma relutância em aceitar medicina homeopática, o mesmo acontece na aceitação destas histórias, pois as mentes intelectuais encontram dificuldade em admitir que um meio tão simples possa ser eficaz.

Há uma esperança que mais e mais professores e pais trabalhem com este tema tão revigorante e poderoso, guiando as crianças em seus ambientes sociais, dando apoio à capacidade da criança relacionada à sua imaginação.

Adaptado de trecho do livro de Susan Perrow, “Therapeutic Storytelling, 101 healing stories for children”, Hawthorn Press, Reino Unido. Tradução: Sílvia R. Jensen


APOIE ESTE TRABALHO:

Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *