O Sacrifício do Homem Moderno


O SACRIFÍCIO DO HOMEM MODERNO

Roberto Dertoni


Quando sacrificares a ti mesmo e com teu próprio calor te voltares para o próximo, estarás criando as substâncias que constituirão a nova vida social e a criação humana levará toda a existência um passo além no desenvolvimento.


Então, o Homem se levantou e caminhou até a sala onde costumava fazer suas orações. Se sentia desamparado e dirigiu sua voz à Deus, em tom acusatório:
– Porque deixastes que tudo chegasse aonde chegou? Porque me abandonastes errando para lá e para cá? Já não ouço mais Tua voz, que outrora me dirigia. Que sentido tenho eu para Ti? Sou, afinal, apenas peça de um jogo que Te entretem? Se foste Tu que me criaste, que acabe logo então com tudo!

Então, uma voz forte, vinda do alto, se fez ouvir:
– Assim como tu, oh Homem, a divindade também está em evolução: sacrifiquei a mim mesmo e, com meu próprio calor, criei o mundo e tudo o que nele habita. Toda substância que encontras a tua volta e que te compõe, resulta deste calor original da criação. E tu foste a parte mais trabalhosa e, ao mesmo tempo, a que justifica toda a criação. Fiz-te à minha imagem e semelhança!

– Então, porque sou tão mísero e errante?
– Para criares como teu criador, és dotado de livre arbítrio, o que enseja a possibilidade de errar. Mas é justamente com o erro que podes aprender e tomar para ti o teu próprio desenvolvimento.

– Mas, como falas em desenvolvimento se, com todo o desenvolvimento tecnológico empreendido, há tanta miséria e destruição?
– Não vês que o poder do desenvolvimento tecnológico, que tanto te esforçastes para alcançar, é dirigido por outras forças a quem te entregas?

– Devo então destruir tudo e me refugiar na Tua grande criação?
– Assim estarias renunciando a ti mesmo e deixando dirigir-te por forças que não as tuas.

– Não vejo solução para quem está no meio do redemoinho!
– A saída não deves buscar em esferas supra-humanas. Mas irás encontrá-la no teu semelhante, que sofre como tu. Quando dirigires tua atenção para o outro, para o ser humano ao teu lado, encontrarás dentro de ti as forças que te manterão num equilíbrio dinâmico no meio da tormenta e te permitirá ir em frente. Quando sacrificares a ti mesmo e com teu próprio calor te voltares para o próximo, estarás criando as substâncias que constituirão a nova vida social e a criação humana levará toda a existência um passo além no desenvolvimento.

– Mas, será que sou capaz deste sacrifício?
– Basta que te lembres daqueles momentos em que, mesmo estando digladiando no dia a dia para conquistardes posições, abristes teu coração e sofrestes com o sofrimento alheio, quando chorastes por um outro e não por ti, quando sorristes candidamente para um olhar estranho. Nestes momentos, em que o amor maior brotou de ti, mostrastes que tens a força para cumprir com o que está reservado para ti.


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *