Os filhos querem colo… sempre

Os filhos querem colo… sempre

Texto Anônimo

colo

Inscreva-se em nosso site e receba informações sobre os trabalhos da Biblioteca:

inscreva se

linha

“No dia 12 de maio de 2011, uma amiga do meu filho pulou do 8º andar do prédio onde morava. Era uma adolescente. Tinha acabado de almoçar, estava com o uniforme do Colégio, e a mochila nas costas, o que indicava que iria para o colégio à tarde, pois nas quartas e sextas eles têm aula o dia todo. Foi um choque para todos os colegas! Aí vem a pergunta: Por quê? Ela tinha apenas 15 anos. Que problemas uma menina de 15 anos pode ter? Fiz esta pergunta ao meu filho, e a resposta me deixou chocada… Ele me disse:

– Mãe, eu acho que era falta de colo.”

linha

No dia 12 de maio de 2011, uma amiga do meu filho pulou do 8º andar do prédio onde morava. Era uma adolescente. Tinha acabado de almoçar, estava com o uniforme do Colégio, e a mochila nas costas, o que indicava que iria para o colégio à tarde, pois nas quartas e sextas eles têm aula o dia todo. Foi um choque para todos os colegas!

Aí vem a pergunta: Por quê? Ela tinha apenas 15 anos. Que problemas uma menina de 15 anos pode ter? Fiz esta pergunta ao meu filho, e a resposta me deixou chocada…
Ele me disse:

– Mãe, eu acho que era falta de colo.

Questionei:

– Como assim?

E ele me disse:

– Hoje em dia, os pais trabalham praticamente o dia todo, sempre com a mesma desculpa de que querem dar aos filhos tudo aquilo que nunca tiveram e, na maioria das vezes, eles estão conseguindo. Eles estão dando um estudo no melhor colégio, cursos de idiomas, dinheiro para gastar no shopping, um computador de última geração pro filho ficar enfiado em casa durante o pouco tempo livre que sobra, roupas, tênis, celular, tudo muito caro, etc… E sempre cobrando da gente boas notas, pois estão investindo muito… Na maioria das vezes, os pais não têm mais tempo para os filhos, não conversam mais, não fazem um carinho…

Ele fez uma pausa. Eu estava boquiaberta com o que ele acabara de falar-me e meus pensamentos foram a mil. Mal comecei uma frase.

– Meu filho, você tem razão. É isso mesmo…

E ele me interrompeu dizendo:

Mãe, quando a gente chega em casa, o que mais a gente quer é o colo da mãe. Quando vai mal nas provas ou quando acontece alguma coisa ruim, a gente quer colo. Por que você acha que hoje tantos jovens são quase revoltados? Na maioria das vezes, eles estão querendo chamar a atenção, ser notados… Só que no lugar errado e de forma errada: na rua e com violência.

Dei um grande abraço em meu filho, beijei-o com muito carinho. E lhe disse:

Meu filho, espero que a morte dela não tenha sido em vão, pois quem sabe desta forma muitos pais vão repensar suas atitudes para com seus filhos!

Ele olhou-me carinhosamente e concluiu, antes de sair para a escola:
Não somos máquinas, mãe. Não somos todos iguais. Não é porque o filho da vizinha tira só dez que todos nós vamos tirar 10. Talvez, nem todos nós queiramos falar inglês!

Seus olhos cheios de lágrimas revelavam a dor que sentia pela morte da colega e, ao mesmo tempo, o quanto meu filho valorizava a nossa família. Já fora de casa, ele voltou correndo e me deu um forte abraço e me disse:

– Mãe, obrigado por eu poder contar sempre com você nos maus momentos…E, obrigado, também, pelas broncas, pois sei que as mereço.

Depois que ele virou a esquina, fechei suavemente a porta, pensativa e convencida de que o tempo e o amor são os melhores investimentos que podemos fazer pelos nossos filhos. O resto é consequência. Nada é mais importante que estes meios essenciais para a felicidade de nossos filhos. E, sem dúvida, só assim poderemos também ser felizes com a consciência tranquila de ter cumprido bem a nossa missão de pais.

linha

Tem uma preocupação com a Educação?

unlock 3

Ajude a Biblioteca a divulgar seus conteúdos, contribua:

Quero ajudar – clique aqui

 

 

linha

Últimas postagens – Leia também:

  • O limiar entre o respeito e a doutrinação do pensamento alheio O limiar entre o respeito e a doutrinação do pensamento alheio Fingers Pointing Each Other
  • A opinião que difere da minha A opinião que difere da minha
  • Conexão interna: Estamos distraídos Conexão interna: Estamos distraídos
  • Vincular uma tarefa ao seu destino Vincular uma tarefa ao seu destino
  • Jardim de sojas Jardim de sojas
  • Generalização: inquisição, escravidão e nazismo ocultos Generalização: inquisição, escravidão e nazismo ocultos
  • A tirania e o corrompimento da alma A tirania e o corrompimento da alma
  • Os véus da percepção Os véus da percepção

Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:

12 opiniões sobre “Os filhos querem colo… sempre”

  1. Em 2011 vi esse texto circulando em muitos lugares, o episódio aconteceu em Curitiba, cidade onde moro. É um texto lindo, cheio de verdades Entretanto, desejo do fundo do meu coração que os pais de Joana nunca o tenham encontrado. Porque em meio a dor de perder uma filha de forma tão violenta, ainda se deparariam com a acusação simplista de que foram os causadores de sua morte. E a adolescência é um período de muitos conflitos, de sentimentos exacerbados, de atitudes extremas – todos nós sabemos disso. E ninguém sabe pelo que esses pais e essa menina estavam passando. Gostaria que as pessoas pensassem melhor antes de acusar, julgar e punir publicamente pessoas que já estão tendo punições suficientes para duvidar da própria vontade de continuar vivendo.

Deixe uma resposta para Mariana Antônio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *