DÉCIMA PRIMEIRA NOITE SANTA – 4 de janeiro


As Doze Noites Santas

DÉCIMA PRIMEIRA NOITE SANTA – 3 de janeiro

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto


Da força que leva ao progresso emana a plenitude do amor divino inspirada como persistência em relação ao que se pretende alcançar.

“Na décima primeira Noite Santa através do portal do Touro o Espírito Santo emana a plenitude do amor divino inspirada como persistência em relação ao que se pretende alcançar. Nesta noite, deixe seu olhar buscar novos horizontes para a sua vida. Foram as forças do Touro que configuraram a laringe, o órgão da fala, que segundo Steiner está em transformação, e ele diz que nos estágios evolutivos futuros do ser humano. A palavra será como uma lança sagrada de expressão do amor divino. Da região de Touro, o Espírito Santo traz a você a força da persistência que leva ao progresso.”


De novo vem o Sol e um novo dia e ao cair da noite uma estrela brilha no céu emanando seu brilho da Constelação de Touro portal por onde adentra à esfera do Zodíaco vindo das regiões macrocósmicas o sopro do espírito.

Se lembrarmos dos Reis Magos estava próximo o lugar onde se encontrava a criança e iluminando a noite o brilho da estrela que os precedia ampliava enormemente a dimensão do deserto. A alma se elevou tocando outra dimensão que não é terrena e o Espírito Santo adentra a dimensão humana manifestada no Batismo de João sob a forma de uma pomba.

É uma noite de grande expansão da alma, os horizontes se ampliam e a nossa alma pode se elevar a um estado anímico cósmico alcançando a dimensão da alma do Cosmos, da Sofia divina e sentir a presença do espírito . No Antigo Egito isto era representado nas esculturas que portavam os chifres do Touro com o espaço entre eles preenchido por um disco solar coroando a cabeça do faraó considerado o descendente direto de Deus.

Foram as forças do Touro que configuraram a laringe, o órgão da fala que segundo o Steiner está em transformação e que nos estágios evolutivos futuros do ser humano a palavra terá de novo a força plasmadora referida nas Gênesis de todas as religiões. No princípio era o verbo e o verbo estava em Deus.

A palavra será como uma lança sagrada de expressão do amor divino.

Na décima primeira Noite Santa através do portal do Touro o Espírito Santo emana a plenitude do amor divino inspirada como persistência em relação ao que se pretende alcançar.

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto

Introdução às 12 Noites Santas – clique aqui

Primeira Noite Santa – clique aqui

Segunda Noite Santa – clique aqui

Terceira Noite Santa – clique aqui

Quarta Noite Santa – clique aqui

Quinta Noite Santa – clique aqui

Sexta Noite Santa – clique aqui

Sétima Noite Santa – clique aqui

Oitava Noite Santa – clique aqui

Nona Noite Santa – clique aqui

Décima Noite Santa – clique aqui


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

DÉCIMA NOITE SANTA – 3 de janeiro


As Doze Noites Santas

DÉCIMA NOITE SANTA – 3 de janeiro

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto


Abra seu coração, reconheça o amor em si e nos outros. Ele não está assentado em laços físicos, mas espirituais.

“Na décima Noite Santa, através do portal de Gêmeos, os impulsos espirituais dos Serafins ajudam a vencer a barreira do individualismo e da solidão. Nesta noite abra o seu coração, reconheça o amor em si e nos outros. Amor que não está mais assentado nos laços físicos, nos laços da paixão, mas em laços espirituais. O amor fraterno. A fraternidade é o mais poderoso impulso para a vida social, porque ela pode quebrar as barreiras de status, etnia e crenças. 


De novo sai o sol, atravessamos um novo dia e vem o cair da noite. Uma estrela brilha no céu, emanando seu brilho da Constelação de Gêmeos, o portal através do qual emanam as forças espirituais dos Serafins, os Seres do Amor. Amor que não está mais assentado nos laços físicos, nos laços da paixão, mas em laços espirituais. O amor fraterno.

O mito grego de Kastor e de Polydeukes, irmãos que eram filhos da mesma mãe com pais diferentes, sendo que Castor era mortal e Polydeukes imortal. Ocorreu que Castor morre e o seu irmão vai até Zeus e pede que a sua imortalidade seja retirada e concedida a Castor; Zeus comovido, torna ambos imortais e os coloca no céu na forma de uma constelação, a constelação de Gêmeos!

Ele os eleva à condição macrocósmica, e o que os torna imortais não são os laços de sangue, mas o abrir mão de si mesmo, que é a forma ainda mais elevada de Amor!

No Evangelho temos a expressão dessa forma de amor: “onde dois estiverem reunidos em meu nome eu estarei no meio deles” – abre-se mão do próprio Eu, e ganha-se um outro Eu que é eterno.

A fraternidade é o mais poderoso impulso para a vida social, porque ela pode quebrar as barreiras de status, etnia e crenças.

Na décima Noite Santa, através do portal de Gêmeos, os impulsos espirituais dos Serafins ajudam a vencer a barreira do individualismo e da solidão.

Nesta noite abra o seu coração, reconheça o bem em si e nos outros. Da região de Gêmeos, os Serafins, Espíritos do Amor, trazem a você impulsos para vencer a barreira do individualismo e da solidão e encontrar sentido na união e na fraternidade…

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto

Introdução às 12 Noites Santas – clique aqui

Primeira Noite Santa – clique aqui

Segunda Noite Santa – clique aqui

Terceira Noite Santa – clique aqui

Quarta Noite Santa – clique aqui

Quinta Noite Santa – clique aqui

Sexta Noite Santa – clique aqui

Sétima Noite Santa – clique aqui

Oitava Noite Santa – clique aqui

Nona Noite Santa – clique aqui


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

Permita que seu filho siga seu próprio caminho


PERMITA QUE SEU FILHO SIGA SEU PRÓPRIO CAMINHO

Karla Neves


“Aos 14 quando Saturno faz oposição ao Saturno natal vem uma primeira necessidade de rompimento com os pais, a inquietação de ser diferente. Aí ele já confronta seus desejos de indivíduo independente com aqueles que vêm do campo da família. 


Infelizmente o texto foi removido por solicitação da autora.
Em breve publicarei conteúdo análogo.


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A BIBLIOTECA PARA 2020:

NONA NOITE SANTA – 2 de janeiro


As Doze Noites Santas

NONA NOITE SANTA – 2 de janeiro

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto


Criemos o espaço de aconchego na alma para que os momentos de transição ocorram de forma harmoniosa.

“Na nona Noite Santa, através do portal de Câncer, recebemos os impulsos espirituais dos Querubins, que nos trazem força para nos harmonizarmos com o novo e cria aconchego para que os momentos de transição ocorram de forma harmoniosa. Nesta noite, deixe de lado a apreensão pelo que está em transição na sua vida. Da região de Câncer , os Querubins, Espíritos da Harmonia, trazem a você a força da harmonia com o novo e aconchego para os momentos de transição. Os Querubins trazem o impulso para que as transições de um ciclo para outro ocorram de forma harmoniosa. Eles atuam na forma da espiral cujas forças vêm do ciclo anterior, criam um invólucro e se direcionam para o próximo ciclo – em uma seqüência repetitiva, harmoniosa.” 


De novo sai o Sol, atravessamos um novo dia e vem o cair da noite.

Uma estrela brilha no céu, emanando o seu brilho da Constelação de Câncer, o portal do qual emanam as forças espirituais dos Querubins, os Seres da Harmonia.

Foi a ação dos Querubins no início da evolução que criou o cinturão protetor de estrelas em volta do nosso sistema separando-o da totalidade macrocósmica.

Esta ação está expressa na própria configuração do tórax: as forças de Câncer configuram os doze pares de costelas, o invólucro protetor físico do coração, o órgão da vida.

Os Querubins trazem o impulso para que as transições de um ciclo para outro ocorram de forma harmoniosa. Eles atuam na forma da espiral cujas forças vêm do ciclo anterior, criam um invólucro e se direcionam para o próximo ciclo – em uma seqüência repetitiva, harmoniosa. Podemos observar essas espirais cósmicas também em ciclos menores da natureza . São os Querubins que cuidam, por exemplo, que a semente do outono renasça como uma nova planta na primavera…

Essas transições no nosso desenvolvimento às vezes se apresentam de forma dramática, como crises .

Na nona Noite Santa, através do portal de Câncer, recebemos os impulsos espirituais dos Querubins, que nos trazem força para nos harmonizarmos com o novo e cria aconchego para que os momentos de transição ocorram de forma harmoniosa.

Nesta noite, deixe de lado a apreensão pelo que está em transição na sua vida. Da região de Câncer , os Querubins, Espíritos da Harmonia, trazem a você a força da harmonia com o novo e aconchego para os momentos de transição.

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto

Introdução às 12 Noites Santas – clique aqui

Primeira Noite Santa – clique aqui

Segunda Noite Santa – clique aqui

Terceira Noite Santa – clique aqui

Quarta Noite Santa – clique aqui

Quinta Noite Santa – clique aqui

Sexta Noite Santa – clique aqui

Sétima Noite Santa – clique aqui

Oitava Noite Santa – clique aqui


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

OITAVA NOITE SANTA – 1 de janeiro


As Doze Noites Santas

OITAVA NOITE SANTA – 1 de janeiro

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto


Tenha a coragem e a prontidão de realizar no exterior o que é determinado a partir de dentro: da voz do coração.

“Na oitava Noite Santa, a partir do portal do Leão, recebemos os impulsos de entusiasmo e coragem. As forças de Leão configuraram o coração humano e os dirigentes da Antiguidade e os reis da Idade Média associavam sua realeza com este signo, que era relacionado com a coragem e a prontidão de realizar no exterior o que é determinado a partir de dentro: da voz do coração. Nesta noite, abandone o medo dos desafios que você tem pela frente. Da região de Leão, os Tronos, Espíritos da Vontade, lhe trazem poderosas forças para vencer as provas que as suas escolhas lhe trazem.” 


Nasce um novo Sol, atravessamos mais um dia e vem o cair da noite. Uma nova estrela brilha no céu, emanando luz da Constelação de Leão, portal do qual emanam as forças dos Tronos, os Seres da Vontade.

Alcançamos a primeira hierarquia, de seres espirituais muito evoluídos que manifestam as intenções divinas atuando da esfera macrocósmica para dentro do nosso sistema solar.

Na evolução, os Tronos eram seres tão completamente conscientes de si que seu querer era sua própria substância, e este querer é tão exaltado que estes seres produziam calor e doaram sua própria substância.

As forças de Leão configuraram o coração humano e os dirigentes da Antiguidade e os reis da Idade Média associavam sua realeza com este signo, que era relacionado com a coragem e a prontidão de realizar no exterior o que é determinado a partir de dentro: da voz do coração.

Na oitava Noite Santa, a partir do portal do Leão, recebemos os impulsos de entusiasmo e coragem para enfrentar as provas que o destino nos traz.

Nesta noite, abandone o medo dos desafios que você tem pela frente. Da região de Leão, os Tronos, Espíritos da Vontade, trazem a você poderosas forças para vencer as provas que as suas escolhas lhe trazem.

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto

Introdução às 12 Noites Santas – clique aqui

Primeira Noite Santa – clique aqui

Segunda Noite Santa – clique aqui

Terceira Noite Santa – clique aqui

Quarta Noite Santa – clique aqui

Quinta Noite Santa – clique aqui

Sexta Noite Santa – clique aqui

Sétima Noite Santa – clique aqui


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

2020: VONTADE E PRESENÇA DE ESPÍRITO NO CAMINHO DE AUTODESENVOLVIMENTO


2020: VONTADE E PRESENÇA DE ESPÍRITO NO CAMINHO DE AUTODESENVOLVIMENTO

Leonardo Maia


“Desejar algo melhor para si sem nenhum propósito maior é mero egoísmo e uma triste ilusão… O que precisa ser transformado dentro de você será transformado e o mundo se manifestará de forma com que isso seja consumado.”


Desejo à todos para o ano de 2020: Vontade e presença de espírito no caminho de autodesenvolvimento.

Mais nobreza e fraternidade no lidar com a energia financeira refletirá em prosperidade. Portanto muita atenção para não cairmos na ganância e mesquinhez, buscando apenas a realização de nossos desejos materiais.

Atividade física, alimentação saudável e contato com a natureza irá refletir diretamente na nossa saúde. Não fique parado demais, trabalhando excessivamente, com uma alimentação ruim e maus hábitos constantes – como beber, fumar e comer porcarias.

Tenha respeito e amor pelos outros, pela forma forma deles pensarem e agirem, mesmo que seja diferente da sua, e isso se refletirá em respeito a você também e trará mais tranquilidade e leveza de espírito.

Presença e carinho no ambiente familiar e círculo pessoal estreitará as relações e você se sentirá mais querido e acolhido. Portanto, faça críticas apenas construtivas e tenha um olhar mais amoroso para com os outros, menos pejorativo, pois todos temos dificuldades e muito a aprender.

Procure não se acomodar em situações ruins, faça o possível, a partir de suas forças, para que seus sonhos floresçam. Não se vitimize e jogue a responsabilidade para cima dos outros, liberte-se.
Lembre que tudo é conduzido por Forças Maiores e que toda manifestação será um mecanismo para colaborar com o seu autodesenvolvimento e o dos outros. Portanto, muita força de vontade e atenção refletirá positivamente. Não espere que tudo mude, se você não mudar. O que precisa ser transformado dentro de você será transformado e o mundo se manifestará de forma com que isso seja consumado.

Desejar algo melhor para si sem nenhum propósito maior é mero egoísmo e uma triste ilusão…

Quero reafirmar também que sou a favor da Liberdade, do pensar próprio e do respeito e amor ao próximo. Da pluralidade de ideias, da arte, da cultura, do meio ambiente e sem negligenciar a estrutura social e econômica do país. Estamos na época da consciência e precisamos assumir a responsabilidade sobre as nossas escolhas e atos.

Eu não tenho medo da diferença ideológica, que é saudável e alimenta a pluralidade de ideias e da vida em si. Mas ser contra a vida, o respeito, a natureza, a liberdade, a cultura, a educação, a compaixão e amor ao próximo estão fora da minha agenda e farei oposição a isso sim… sem medo.

Vou continuar lutando pela dignidade de todos.

Quero também agradecer aos apoiadores que permitem que a Biblioteca esteja ativa até hoje.

Um ótimo ano de 2020!!!

“Que o seu pensar seja claro, verdadeiro, sem julgamento, ponderado. Que seu sentir seja aquecido, amoroso, com compaixão pelo outro, trazendo a verdade do amor latente em si. Que sua ação seja fiel a uma causa, apaziguadora. Que você possua a virtude de fazer o bem. Que você possa ajudar ao outro ser humano e acompanhá-lo. Que você desenvolva o sentido humanitário e coloque a sua força à disposição da humanidade. Que você Ilumine com sabedoria os lados negativos ou sombras. Que você possa ajudar o outro a encontrar suas metas e realizá-las. Que você acompanhe o destino do outro, ajude-o a encontrar os lados positivos da vida para aproveitar, para um todo maior, as qualidades positivas de cada um.”

Leonardo Maia


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A BIBLIOTECA PARA 2020:

SÉTIMA NOITE SANTA – 31 de dezembro


As Doze Noites Santas

SÉTIMA NOITE SANTA – 31 de dezembro

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto


A Virgem é a imagem terrestre da Alma Cósmica – Sofia, corresponde ao aspecto de nossa alma que permanece intocada pelas necessidades terrestres e que pode acolher e gerar o Espírito individualizado.

“Na sétima Noite Santa através do portal da Virgem recebemos os impulsos espirituais dos Kyriotetes, que são capacidades de criar o espaço para algo novo Ser gestado no íntimo, e de encontrar forças a partir do seu próprio interior, para fazer desabrochar a sua vida. A Virgem é a imagem terrestre da Alma cósmica, a Sofia, e ela é considerada virgem porque corresponde a um aspecto de nossa alma que permanece intocada pelas necessidades terrestres, e pode então acolher e gerar o Espírito individualizado em nós. Isto significa um estado de entrega e doação constantes, de cortesia e polidez. Nesta noite concentre-se, como faz a semente, na essência do que você quer realizar.”


De novo temos o nascer do sol que anuncia o novo dia, e no final deste o cair da noite. Uma nova estrela brilha no céu emanando luz da Constelação da Virgem o portal do qual emanam as forças dos Kyriotetes, os Seres da Sabedoria, também chamados Domínios.

Na evolução, eles acordaram ao perceber a existência de outros Seres, para os quais criaram então o espaço do acolhimento. Estamos ainda no âmbito da segunda hierarquia, os Seres que acolhem e realizam os planos divinos.

As forças do Signo da Virgem configuraram o ventre, que é um aspecto físico do feminino que pode receber e gerar outro ser. A alma, a nossa vida interna também tem esta qualidade do feminino, de levar para dentro, de acolher no íntimo e de guardar a nossa essência, o nosso Eu.

A Virgem é a imagem terrestre da Alma cósmica, a Sofia, e ela é considerada virgem porque corresponde a um aspecto de nossa alma que permanece intocada pelas necessidades terrestres, e pode então acolher e gerar o Espírito individualizado em nós. Isto significa um estado de entrega e doação constantes, de cortesia e polidez.

Na sétima Noite Santa através do portal da Virgem recebemos os impulsos espirituais dos Kyriotetes, que são capacidades de criar o espaço para algo novo Ser gestado no íntimo, e de encontrar forças a partir do seu próprio interior, para fazer desabrochar a sua vida.

Nesta noite concentre-se, como faz a semente, na essência do que você quer realizar. Da região da Virgem, os Kyriotetes, Espíritos de Sabedoria, trazem a você a capacidade de encontrar forças a partir do seu próprio interior, para fazer desabrochar a sua vida.

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto

Introdução às 12 Noites Santas – clique aqui

Primeira Noite Santa – clique aqui

Segunda Noite Santa – clique aqui

Terceira Noite Santa – clique aqui

Quarta Noite Santa – clique aqui

Quinta Noite Santa – clique aqui

Sexta Noite Santa – clique aqui


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

A influência do movimento interrompido em direção aos pais


MOVIMENTO INTERROMPIDO EM DIREÇÃO AOS PAIS

Constelação Familiar de Bert Hellinger

Fonte: IEVS – Instituto de Estudos Viver Sistêmico


Quando crianças, nosso foco maior de segurança são nossos pais. Nesta presença, aquilo que nos dá medo ou insegurança perde a força. Movimentos interrompidos “acontecem” quando buscamos esta segurança e não encontramos, seja por uma ausência momentânea ou prolongada, por um mal entendido ou por um abandono de fato.


Tudo aquilo que acontece conosco têm a capacidade de criar imagens internas que nos influenciam por toda a vida, principalmente quando não conseguimos digerir e integrar aquelas experiências que foram difíceis.

Essa é uma realidade que também acontece na nossa fase adulta. Porém, quando isso acontece quando somos crianças, as sensações e sentimentos que resultam dela parecem ainda mais fortes. Nessa fase, nosso sistema físico e neurológico ainda está em formação e somos mais dependentes do meio e de nossa família para processar nossas experiências. E dependendo do grau de dificuldade do acontecimento, pode ser “demais” para uma criança.

Esse acontecimentos difíceis podem ser chamados de traumas. O movimento interrompido em direção à mãe e ao pai é um tipo deles.

Peter Levine descreve que trauma é tudo aquilo que aconteceu cedo demais, rápido demais ou forte demais. Isso significa que um trauma pode ser um evento que, para aqueles que olham de fora, aparenta ser “pequeno”.

Trauma é tudo aquilo que aconteceu cedo demais, rápido demais ou forte demais.

Peter Levine

Porém, para uma pessoa (ou criança) que ainda não estava preparada para enfrentar certo acontecimento, como por exemplo uma ausência prolongada da mãe e que fez surgir nela a sensação de abandono, isso se torna uma marca interna que pode acompanhar todos os seu movimentos durante a vida, em relação à sua família, seus relacionamentos, seu trabalho e a vida em si.

O QUE SÃO MOVIMENTOS INTERROMPIDOS?

Quando crianças, nosso foco maior de segurança são os nossos pais. Nós precisamos deles e da segurança que eles nos proporcionam para experimentar o mundo que nos cerca.

Quando experienciamos algum perigo, ainda na infância, a primeira coisa que procuramos é o olhar e a presença de nossos pais, e em especial, nossa mãe. Neste encontro e nesta presença, aquilo que nos dá medo perde força, e seguimos nosso crescimento aproveitando da segurança que eles nos oferecem.

Movimentos interrompidos “acontecem” quando buscamos esta segurança e não encontramos, seja por uma ausência momentânea ou prolongada, por um mal entendido ou por um abandono de fato.

Nestas situações nós, enquanto crianças, experienciamos a sensação de estarmos sozinhos, sem nosso porto de segurança. Sentimos que estamos correndo risco de vida. E isto gera um forte impacto em nosso inconsciente.

A dinâmica que atua neste momento é de uma forte desconfiança da criança em relação aos pais. E como mecanismo de defesa contra esse sentimento, ela impede que novos movimentos de confiança sejam feitos em relação à eles. Uma decisão inconsciente, que Bert chama de movimento interrompido.

A INTERRUPÇÃO

O que acontece é que a criança evita construir um caminho de confiança em relação aos pais como forma de evitar a dor que ele sentiu ao experienciar o abandono. A sutileza aqui é que geralmente a sensação de abandono não está calcada em um verdadeiro movimento de abandono pelos pais, mas que a criança sentiu dessa forma.

Ela carrega este sentimento durante sua vida e geralmente este movimento somente se restaura através de um trabalho terapêutico ou de autoconhecimento. Isso porque a experiência emocional é tão forte na infância, e tão instintiva, que isto fica impresso no seu inconsciente, bloqueando outros movimentos de vida.

“Quando alguém que tenha sofrido a interrupção de um movimento precoce vai ao encontro de outra pessoa, digamos, de um parceiro, a lembrança daquela interrupção torna a aflorar, mesmo que apenas como memória corporal inconsciente. Então a pessoa torna a interromper o movimento, no mesmo ponto em que o interrompeu da primeira vez.” Bert Hellinger, no livro “Ordens do amor.”

A citação acima explica um dos principais exemplos de como nossas experiências na infância acabam por influenciar toda nossa vida, quando não nos dispomos a olhar para elas e buscar uma reconciliação com o que atua em nós.

ATRAVÉS DOS PAIS

Hellinger fala que quando vivenciamos esta dinâmica do movimento interrompido, a melhor forma que temos de buscar uma solução é através de nossa mãe, porque é geralmente a ela que este movimento é dirigido.

Ele orienta como podemos restabelecer este contato quando houve um movimento interrompido:

“Com crianças pequenas a mãe ainda consegue isso facilmente. Ela toma o filho nos braços, aperta-o amorosamente contra si e o mantêm pelo tempo necessário, até que esse amor, que tinha se transformado em raiva e tristeza, flua de novo abertamente para ela.” Bert Hellinger.

Com filhos adultos, Hellinger diz que também é possível uma mãe ajudar seu filho, porém é necessário que se regrida em suas sensações e emoções à época onde a interrupção do movimento aconteceu. Esta é uma sutileza que exige de ambos que se permitam retornar a um momento que para a criança foi doloroso, e que ainda reside no adulto que ele se tornou.

Quando o pai ou a mãe não estão mais disponíveis, pode ser trabalhado através de um processo terapêutico, por exemplo.

E QUANDO HÁ RESISTÊNCIA

Algumas vezes, os filhos resistem a estabelecer este movimento, seja por medo, seja por arrogância. Nestes casos, uma profunda reverência do filho aos seus pais ajuda a aliviar a rigidez desta resistência.

A reverência profunda é um movimento que atua no interior do adulto.

Reverenciar é um ato de reconhecimento de seu lugar em relação ao fluxo de vida que vem de seus pais. E ainda que de nada adianta dobrar-se fisicamente diante dos pais se isso não vier acompanhado de uma postura interna verdadeira, os efeitos são mais fortes quando se faz de forma visível e audível.

O que percebemos na grande maioria das constelações que conduzimos é que é isto que a criança/filho deseja. Muitas vezes, ele está apenas perdido no sentimento de medo e abandono que sentiu ao experienciar estes acontecimentos na infância.

Via Ipê Roxo


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

SEXTA NOITE SANTA – 30 de dezembro


As Doze Noites Santas

SEXTA NOITE SANTA – 30 de dezembro

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto


Precisamos ter a capacidade de equilibrar na alma as forças de dispersão e ter uma vida coerente e harmoniosa.

“Na sexta Noite Santa, através do portal da Balança, recebemos dos Dynamis, ou Virtudes, os impulsos espirituais para desenvolver o equilíbrio interior e conseguir conter as forças de dispersão para que tenhamos uma vida coerente e harmoniosa. Os Dynamis nos oferecem a possibilidade de colocar as influências do passado e as possibilidades do futuro, o dentro e o fora, os processos de fusão e de separação, em uma correta relação de reciprocidade, em um equilíbrio dinâmico.”


Temos o nascer do sol, a passagem de mais um dia e o cair da sexta Noite Santa. Uma nova estrela brilha no céu, irradiando da Constelação de Balança o portal através do qual emanam as forças espirituais dos Dynamis, também chamados de Virtudes, os Seres do Movimento! Continuamos no âmbito da segunda hierarquia.

Na evolução, os Dynamis acordaram ao perceber o que estava ocorrendo a sua volta, e atuaram criando um equilíbrio dinâmico, uma correta relação, uma permanente reciprocidade entre as coisas. Estar em desequilíbrio significa estar separado, não estar inserido na unicidade de todas as coisas. Suas forças configuraram a bacia, que é responsável pelo equilíbrio, no manter-se ereto.

No processo terapeutico biográfico, estudamos a expressão da Balança por volta dos 28 anos, que é o marco de mudanças entre as forças do passado que nos carregaram até aí e as forças do futuro que trazem a possibilidade de uma nova expressão da nossa individualidade através da nossa capacidade de transformar a herança da educação herdada.

Os Dynamis nos oferecem a possibilidade de colocar as influências do passado e as possibilidades do futuro, o dentro e o fora, os processos de fusão e de separação, em uma correta relação de reciprocidade, em um equilíbrio dinâmico.

Na sexta Noite Santa, através do portal da Balança, recebemos dos Dynamis, ou Virtudes, os impulsos espirituais para desenvolver o equilíbrio interior e conseguir conter as forças de dispersão, para que tenhamos uma vida coerente e harmoniosa.

Nesta noite reconheça quais os pontos de equilíbrio de sua vida. Da região de Libra, os Dynamis, Espíritos do Movimento, trazem a você a capacidade para equilibrar na alma as forças de dispersão e ter uma vida coerente e harmoniosa.

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto

Introdução às 12 Noites Santas – clique aqui

Primeira Noite Santa – clique aqui

Segunda Noite Santa – clique aqui

Terceira Noite Santa – clique aqui

Quarta Noite Santa – clique aqui

Quinta Noite Santa – clique aqui


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

QUINTA NOITE SANTA – 29 DE DEZEMBRO


As Doze Noites Santas

QUINTA NOITE SANTA – 29 de dezembro

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto


Devemos aceitar nossas fraquezas para receber os impulsos espirituais para sua superação e transformação.

“Nesta quinta Noite Santa, recebemos através do portal de Escorpião os impulsos espirituais dos Exusiai, ou Potestades, para aceitar por um lado as nossas fraquezas, e por outro lado receber os impulsos espirituais para a superação e transformação dessas forças. O Escorpião é então o signo das forças duplas, tanto destrutivas, retrógadas, que mudam constantemente de aparência e invadem a nossa alma trazendo caos à nossa vida, como é também portador de forças construtivas que têm a ver com transmutação constante e contínua superação, para que a substância divina, o Espírito, possa em nós ser plasmado de novo e sempre. Nesta noite procure ficar em paz consigo mesmo. Da região de Escorpião, os Exusiai, Espíritos da Forma, trazem a você a capacidade de renascer das crises e de todos os processos de perda, impotência, dor e desespero.”


Nasce de novo o sol, atravessamos um novo dia e cai a noite e uma nova estrela brilha no céu irradiando da Constelação de Escorpião através da qual emanam as forças espirituais dos Exusiai, os Seres da Forma, também chamados de Potestades ou Poderes. Agora atingimos o âmbito da segunda hierarquia.

Eles também foram seres de um estado evolutivo anterior tão avançados em seu processo que podem acolher os planos divinos e torná-los manifestos, de forma que haja uma concordância entre a esfera macrocósmica da consciência do Cosmos e o nosso sistema Solar, que é uma expressão microcósmica onde a nossa existência humana está inserida, onde acontece a nossa biografia, humana.

Os Exusiai estão envolvidos nos processos de criação de um novo ser, na transformação de uma forma em outra, na metamorfose constante da substância.

Na Bíblia eles são chamados de Elohins, e no corpo humano as forças de Escorpião configuraram os genitais a partir dos quais é possível a procriação ou seja, a criação de um novo ser físico.

Estamos no âmbito das forças sexuais, que são as forças que oscilam tanto para o egoísmo mais absoluto, aquilo que pode ser caracterizado como o mal, porque ao oferecer a possibilidade da maior satisfação imediata podem subjugar o humano ao nível do animalesco.

Mas que também trazem uma das maiores possibilidades para a superação do egoísmo e transcendência de forças. Se em Sagitário tínhamos a imagem de um cair e levantar constantes entre o animalesco e o humano, aqui temos a imagem de uma luta, na nossa vida interior, entre a morte e ressurreição.

E esta é uma luta muito individual, onde em liberdade oscilamos entre as sombras que obscurecem o nosso ser, os esconderijos onde vive o Escorpião venenoso, e as forças de expansão do Ser, representadas pela águia que se eleva às alturas e de lá contempla o Todo.

O Escorpião é então o signo das forças duplas, tanto destrutivas, retrógadas, que mudam constantemente de aparência e invadem a nossa alma trazendo caos à nossa vida, como é também portador de forças construtivas que têm a ver com transmutação constante e contínua superação, para que a substância divina, o Espírito, possa em nós ser plasmado de novo e sempre! No Apocalipse, esta característica de forças duplas é apresentada como a espada de dois gumes.

Nesta quinta Noite Santa, recebemos através do portal de Escorpião os impulsos espirituais dos Exusiai, ou Potestades, para aceitar por um lado as nossas fraquezas, e por outro lado receber os impulsos espirituais para a superação e transformação dessas forças.

Nesta noite procure ficar em paz consigo mesmo. Da região de Escorpião, os Exusiai, Espíritos da Forma, trazem a você a capacidade de renascer das crises e de todos os processos de perda, impotência, dor e desespero.

Texto: Edna Andrade / Narração: Mirna Grzich

Produção e direção: Gabriel Lehto

Introdução às 12 Noites Santas – clique aqui

Primeira Noite Santa – clique aqui

Segunda Noite Santa – clique aqui

Terceira Noite Santa – clique aqui

Quarta Noite Santa – clique aqui


Sinta se o conteúdo faz sentido para você ou não para compartilhar:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:

CLOSE
CLOSE