VACINAS, NEGACIONISMO, ESPIRITUALIDADE E ÉTICA MORAL


VACINAS, NEGACIONISMO, ESPIRITUALIDADE E ÉTICA MORAL

Leonardo Maia


“Cerca de 100 anos atrás, em uma série de 14 ensaios publicados sob o título “The Fall of the Spirits of Darkness” – A Queda dos Espíritos das Trevas, Steiner alertou as gerações futuras de uma possível medida de controle de massa, muito parecido com as visões apresentadas por Orwell e Huxley. Steiner imaginou um futuro em que as vacinas poderiam nos roubar nossa natureza espiritual.”

Dylan Charles


Olha, é um assunto complexo e vou colocar a minha opinião.

Existe uma colocação do Steiner sobre a possibilidade de supressão do Espírito através de vacinação (desconexão com os Mundos Espirituais/suprassensíveis), que isto poderia acontecer no futuro.

“Cerca de 100 anos atrás, em uma série de 14 ensaios publicados sob o título “The Fall of the Spirits of Darkness” – A Queda dos Espíritos das Trevas, Steiner alertou as gerações futuras de uma possível medida de controle de massa, muito parecido com as visões apresentadas por Orwell e Huxley. Steiner imaginou um futuro em que as vacinas poderiam nos roubar nossa natureza espiritual.” – Dylan Charles

“Eu expliquei a vocês que os espíritos das trevas soprarão em seus hospedeiros, para os homens que habitam, para descobrir uma vacina que pode, desde a juventude, através do corpo, erradicar a tendência à espiritualidade. No futuro, crianças serão vacinadas contra essa ou aquela doença com um produto que pode ser muito bem composto e que impedirá que as crianças desenvolvam nelas as “loucuras” da vida espiritual, “loucuras” de um ponto de vista materialista, é claro.” – Rudolf Steiner (conferência dada em Dornach em 7 de outubro de 1917)

Outra questão, sobre o aspecto anti-vacina, realmente o excesso de vacinas contemporâneo é um ponto a se questionar, porém é necessária coerência, por exemplo num caso de pandemia e doenças perigosas – onde quem não está vacinado pode colocar a vida de milhares em risco.

Também acredito que realmente existe a possibilidade de, através da vacinação obrigatória, a inserção de componentes específicos que podem causar efeitos pontuais para manipulação em massa.

Então, o que ocorre é uma sinuca, onde realmente a responsabilidade social nos impõe a postura ética de nos vacinarmos perante epidemias ou doenças específicas e, ao mesmo tempo, de nos submetermos a violação da integridade devido a manipulação dos componentes inseridos no organismo humano, principalmente para efeitos específicos em massa, o que é bem possível e existem denúncias de grupos vinculados à respeito disso.

Não descarto a manipulação – criação de vírus (como armas biológicas) para surtos epidêmicos para justificar a necessidade de vacinação em massa, porém isso se torna especulação e teoria da conspiração, portanto, nesse caso, a minha opinião é que acabamos obrigados a nos vacinar, porém minha opção é sempre quanto menos vacina melhor, porém importante em caso de real necessidade. E, realmente, o medo é uma arma:

“Existem seres nos reinos espirituais para os quais a ansiedade e o medo que emanam dos seres humanos oferecem um alimento bem-vindo. Quando os humanos não estão mais ansiosos e com medo, essas criaturas passam fome. As pessoas que ainda não estão convencidas o suficiente por essa afirmação podem entender que ele tem apenas um significado relativo, mas para aqueles que estão familiarizados com isso, é uma realidade. Se o medo e a ansiedade irradiam de indivíduos que começam a entrar em pânico, essas criaturas se alimentam e se tornam cada vez mais poderosos, esses seres são hostis à humanidade.

Os sentimentos negativos de ansiedade, medo e superstição, desespero ou dúvida, são na realidade forças hostis que emanam de mundos extra-sensoriais, cujos seres exercem ataques cruéis contra os seres humanos enquanto se alimentam de seus efeitos. Portanto, é necessário que uma pessoa que entre no mundo espiritual supere primeiro o medo, o desamparo, sentimento de impotência, desespero e a ansiedade. Mas são precisamente esses sentimentos que pertencem à cultura e ao materialismo contemporâneos; porque alienam os seres humanos do mundo espiritual, o que é particularmente adequado para evocar desespero e medo do desconhecido nos indivíduos, chamando assim as forças hostis acima mencionadas contra ele. ” – Rudolf Steiner

Sobre as doenças infantis, elas são renovadoras das proteínas herdadas, que são trocadas por proteínas produzidas pela própria individualidade. Ao evitar tais doenças, a memória genética continua atuando na individualidade gerando padrões de comportamento e tendências da corrente hereditária, o que distancia e enfraquece o processo de individuação. Ou seja, mantemos memória nuclear de traumas, tendências, até vícios e hábitos herdados.

Essa aspecto de manutenção da memória nuclear hereditária é caminho contrário da evolução humana, volta para a consciência da Antiga Lua (encarnação planetária anterior à atual). Ou seja, abafa o EU, enfraquecendo-o e até mesmo anulando o processo de individuação.

Sobre o negacionismo, existe um paradoxo aqui. Realmente você é negacionista se questiona a funcionalidade das vacinas, porém você também é negacionista se você nega a possibilidade de inserirem outros elementos químicos específicos ocultos nas pessoas – como faziam os nazistas para pesquisa médica e científica (negar isto é negar a ciência igual). Ao observar a consciência das pessoas, qual aspecto moral impediria isto hoje também?

Isso tudo reflete a complexidade do tema… porém é sempre importante a reflexão. Este tema foi abordado no canal da Palabra de Rudolf Steiner e em sua página do Facebook e gerou uma certa polêmica, principalmente devido a Pandemia pelo COVID-19. Segue o link do vídeo (em espanhol):

Segue outra fonte de pesquisa onde o tema também foi abordado:

http://www.verdadypaciencia.com/2020/06/en-1917-rudolf-steiner-profetizaba-la-creacion-de-una-vacuna-que-suprimiria-toda-inclinacion-a-la-espiritualidad-en-las-almas-de-los?fbclid=IwAR2-OXaoCwUfr_2bGFPr0bAX890iDQiGa3KvKu1QnJqPVrDq95_Z06eQzYE

Devido à complexidade do tema e o momento atual, acho importante compartilhar com os seguidores da página.

Por Leonardo Maia


 RECEBA NOSSA NEWSLETTER:


 AJUDE A MANTER A BIBLIOTECA NO AR:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *