O PROFESSOR DO MEU FILHO É UM MARGINAL?

 

O PROFESSOR DO MEU FILHO É UM MARGINAL?

John-George-Brown-xx-The-Teacher-xx-Private-Collection

Vc entra no mundo da escola Waldorf e encontra pessoas engajadas no processo de educação de nossas crianças:

Professores preocupados com o desenvolvimento integral de cada uma das crianças, ao invés de apenas passar os conteúdos para a criança decorar.

Professores que conhecem a criança pelo olhar, conhecem suas famílias e suas diferenças individuais e buscam descobrir suas capacidades e potenciais respeitando cada etapa de seu desenvolvimento.

Professores que cultivam valores como amizade, cooperação, perseverança, respeito, serviço, confiança e apreciação.

Professores que estimulam a fantasia e a imaginação, essenciais para o desenvolvimento da criatividade.

Professores que sorriem a cada sorriso de seus alunos, que choram a cada despedida e comememoram cada vitória deles.

Professores que buscam sempre o autodesenvolvimento para que possam atuar verdadeiramente em sua tarefa:

“Formar seres humanos livres que sejam capazes de, por si mesmos, encontrar propósito e direção para suas vidas.” – Rudolf Steiner

Mas nem tudo são flores, os que se propoem a trilhar o caminho de Professor têm muitos desafios.
Além do domínio do currículo, o professor Waldorf precisam estudar profundamente o desenvolvimento infantil, conhecer os processos que acontecem durante cada etapa.
Conhecer a biografia de cada criança e acompanhar os processos de âmbito familiar, para ajudar a criança a passar com firmeza e crescer em cada um deles.
Para esta elevada tarefa é necessário um trabalho intenso de autodesenvolvimento, pois para se ter a Presença de Espírito para atuar da melhor forma em cada situação que se manifeste, é necessário separar-se de problemas pessoais, estar acima de julgamentos, de processos de antipatia e simpatia com familiares, colegas de trabalho ou mesmo as próprias crianças: buscar sempre atuar para o desenvolvimento da consciência humana com a máxima integridade.
Mas somos seres humanos, temos nossas dificuldades…
Muitas vezes erramos. E o professor Waldorf também erra.
Quando isto acontece, muitas vezes não é aceito, principalmente se erra comigo ou com nossos filhos.
Isto é uma carga enorme, pois a tarefa do professor é muito profunda e delicada.
Mas como ajudar o professor Waldorf a cumprir sua missão? Sim, é uma missão, não apenas um emprego.
Se fosse um emprego, o professor se preocuparia apenas em passar os conteúdos e aprovar quem passar na “prova”, para receber seu salário no final do mês.
Hoje, os professores Waldorf não são reconhecidos como professores. Para isso, precisam da Faculdade de Pedagogia.
Apesar de suas qualidades e empenho em suas tarefas, não são ninguém (a não ser que possuam a Faculdade Tradicional de Pedagogia).
Se atuam em sua escola e possuem apenas o “Curso Brasil de Pedagogia Waldorf”, são marginais dando aulas para nossas crianças, pois são foras de Lei.
A Legislação não vê o que está acontecendo na sala de aula, quem é o professor, apenas seu diploma.
Devida a uma percepção mais profunda do desenvolvimento humano, muitos jovens estão ingressando no Curso Brasil de Pedagogia Waldorf, mas devem correr atrás de seus diplomas de Pedagogia Tradicional para terem o mérito de serem considerados professores.
Mas como foi brevemente descrito acima, atuar como professor Waldorf requer uma força imensa, muita dedicação e integridade de atuação.
O salário de um professor Waldorf não é melhor que o de outro professor, às vezes é até inferior.
Como pagar suas contas, aluguel, comida e etc?  Como ter suas necessidades básicas supridas para ter uma tranquilidade para se desenvolver como ser humano e professor?
Muitos professores têm 2 ou 3 empregos para se manter. Não conseguem comprar materiais para desenvolver seus estudos – sim, o professor Waldorf precisa estudar constantemente para desenvolver sua capacidade de lecionar e atuar com seus alunos.
E o pior de tudo, são marginais.
Que força impulsiona estes seres humanos a isto?
Reclamamos muito da Educação e a sociedade é incapaz de perceber este tipo de situação.
Talvez exigir o curso tradicional de Pedagogia, para ingressar no Curso Brasil de Pedagogia Waldorf?
Discordo plenamente. O que é passado vai contra muitos conteúdos e aspectos desenvolvidos na Pedagogia Waldorf, além de obrigar o professor a dedicar-se a uma formação superflua para conseguir ser professor – pois sem o “diploma” não terá esse venerado reconhecimento de professor que, aliás, é um dos principais problemas atuais, ninguém quer ser professor devido as péssimas condições de trabalho, cargas horários muito puxadas, nenhum reconhecimento e salários baixos.
Obrigar o professor Waldorf a fazer a Faculdade Tradicional de Pedagogia, seria como obrigar quem quer se tornar cantor lírico, a cantar funk ou rap durante 4 anos para ingressar no Conservatório ou vice-versa (sem julgamento ou crítica em cima dos estilos musicais, apenas referência de caminho de estudo).
Quem quer se tornar um lutador de luta livre a fazer balé durante 4 anos como pré requisito, ou vice-versa.
E a escola?
Se contrata professores sem diploma, está agindo contra as Secretarias de Educação – estão agindo fora da lei.
Correm o risco de ser fechadas se não cumprirem as exigências.
O que fazer?

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comentários

  1. Concordo com minha amiga Talita Melone. Não podemos ser unilaterais e precisamos de todo o tipo de conhecimento.

  2. Talita Melone disse:

    Sou professora waldorf.Passei pelo Curso Normal antes de cursar o Seminário Pedagógico Waldorf e vejo em mim e em outros colegas o quanto é importante o conhecimento das demais teorias pedagógicas e práticas de ensino , por mais contrastantes que sejam com o que propõe a Pedagogia Waldorf.Não podemos ser unilaterais, já dizia Steiner.Aliás, ele nunca negou a formação oficial.Não podemos cair em radicalismos.Entendo o que o autor defende , pois vivo este cotidiano de extrema dedicação aos meus alunos versus um baixo salário.Seria muito bom que a luta fosse em direção ao reconhecimento da Pedagogia Antroposófica e/ou inclusão nos Currículos dos Curso de Pedagogia .

  3. Conheço o metodo Waldorf e tem tudo haver com as crianças cristais que estão encarnando no planeta…trabalhar o potencial individual de cada um…se tivesse sido assim conosco…já estaríamos realizados como seres humanos à tempos!!!!

  4. A formaçao em pedagogia waldorf deveria ser reconhecida pela lei sim, mas sinceramente classificar o curso de pedagogia (dito tradicional) como superfluo e um tanto exagerado… como se nada pudesse ser absorvido. Afinal a corrente de pedagogia tradicional e apenas uma das existentes, inclusive mostrada como ultrapassada nos cursos de pedagogia. Nao sao so os professores waldorf que trabalham com amor e respeitam a individualidade.

  5. Calma. Sou médico homeopata mas para atual como tal, tive que cursar a escola médica oficial. O oposto do que nos ensinou Samuel Hahanemann. Isso não deturpou de forma nenhuma o meu modo de atender, diagnosticar e medicar os pacientes, utilizando sempre que possível, a homeopatia. Utilizo os medicamentos homeopáticos com mais segurança. E aprendi muito também, na escola oficial. Além de homeopata, sou toco-ginecologista e a escola oficial me ensinou a arte de partejar, a arte de usar o bisturi na hora certa e de usar remédios químicos alopáticos, quando estritamente necessários. A atual pedagogia se for feita com prazer, com amor, só irá enriquecer e colocar os professores antroposóficos na mesma linha de pensamento com as outras escolas e aumentará assim o seu prestigio e respeito em ambientes não antroposóficos. Quem sabe até uma dia, a escola oficial de pedagogia, se encante com os conhecimentos de Rudolf Steiner & Waldorf e mudem os seus conceitos ? Mas por enquanto eu sugiro que os professores respeitem o que foi pedido, conquistem o curso da pedagogia oficial e assim o movimentos pedagógico das escolas Rudolfo Steiner & Waldorf NUNCA e JAMAIS serão interditadas e fechadas.

  6. Lutadora.Te admiro! Pela sua garra, luta, persistência, principalmente pela paciência e pela sua sabedoria.PRÊMIO MULHER BEM MAIS QUE BONITA !!! A brincadeira é a seguinte… assim que for selecionada, tem que escolher 10 mulheres em seu Facebook, que você acha que merecem o prêmio. Copie e cole isso no mural delas, seja sincera! Se for selecionada mais de três vezes, saberá que é verdadeiramente bonita em sua essência … Se quebrar a brincadeira nada vai te acontecer, mas é sempre bom saber que alguém te acha linda por dentro e por fora. EU ESCOLHO VOCÊ !!bjs

  7. Ana Rosa disse:

    A-MEI! É isso.

  8. Vanessa Kober disse:

    Desejo que consigam chegar a um equilíbrio. Ainda estamos numa sociedade que consome rótulos, títulos, diplomas, cargos, sem refletir sobre eles. A educação é fundamental, mas deve ter qualidade, amor, individualidade. Pensar assim é quase artesanal, por isso nos empurram os profs com diploma, pois tem de haver um jeito express de lidar com a massa de alunos. Trabalhar a individualidade é arte. Acho a Waldorf uma arte…